Conceitos

> Flickering & Efeito Estroboscópico

Flickering & Efeito Estroboscópico

O flickering, ou cintilação da luz, define-se como impressão subjetiva de flutuação do fluxo luminoso, que resulta essencialmente das flutuações muito rápidas de pequena amplitude de tensão de saída. Este fenómeno, aplicado à corrente continua e que é usada na Iluminação a LED, explica-se com recurso à tensão pico-a-pico (Vpp). Esta define-se como um valor em volts que indica diferença entre o valor máximo e mínimo na tensão de saída de um driver. A tensão de saida dos drivers nunca é perfeitamente linear, existem sempre pequenas perturbações, ou seja, quanto mais próximo de 0 for o valor de Vpp, menos oscilações de tensão existirão na tensão de saída do driver e menos flickering terá a luminária.

Resumidamente, o flickering/cintilação é originado pelas oscilações existentes no sinal de saída de alguns drivers e que, apesar de não serem necessariamente detetados conscientemente pelo olho humano, são sempre captados pelo cérebro através da luz emitida pela luminária (intermitência da luz), provocando o efeito estroboscópico.

O efeito estroboscópico ocorre quando uma fonte de luz intermitente ilumina um objeto em movimento. Este efeito, originado pelo flickering, é prejudicial à visão e causa desconforto, cansaço visual e dores de cabeça.

Brilumen